BlogBento

Calendario Formula Indy 2013

Posted by Maicon Rubini on 29 Ee octubre Ee 2012 a las 20:20 Comments comentarios (0)

Calendário Completo da Fórmula Indy 2013

Confira o Calendário 2013 da Fórmula Indy:

1) 24 de Março - St Petersburg (circuito de rua)

2) 7 de Abril - Barber Alabama (circuito misto)

3) 21 de Abril - Long Beach (rua)

4) 5 de Maio - SP Indy 300 - Brasil (Rua)

5) 26 de Maio - 500 Milhas de Indianapolis 500 (oval)

6) 1 de Junho - Detroit 1 (rua)

7) 2 de Junho - Detroit 2 (rua)

8) 8 de Junho - Texas (oval) * à noite

9) 15 de Junho - Milwaukee (oval)

10) 23 de Junho - Iowa (oval)

11) 7 de Julho - Pocono (oval)

12) 13 de Julho - Toronto 1 (rua)

13) 14 de Julho - Toronto 2 (rua)

14) 4 de Agosto - Mid-Ohio (misto)

15) 25 de Agosto - Sonoma (misto)

16) 1 de Setembro - Baltimore (rua)

17) 5 de Outubro - Houston 1 (rua)

18) 6 de Outubro - Houston 2 (rua)

19) 19 de Outubro - Fontana (oval) à noite

Assista a TODAS as corridas AO VIVO AQUI: TV DollyBento

Rubens Barrichello CONFIRMADO na Indy 2012 pela KV Racing

Posted by Maicon Rubini on 1 Ee marzo Ee 2012 a las 18:25 Comments comentarios (1)

O brasileiro Rubens Barrichello anunciou, nesta quinta-feira, que vai disputar a temporada de 2012 na Fórmula Indy pela equipe KV Racing, na qual realizou testes de pré-temporada. Pouco antes da entrevista coletiva foi realizada em São Paulo, o pai do piloto, Rubão Barrichello, já havia confirmado o fato.

"Depois de receber o convite da KV Racing, tive que correr em casa", brincou o novo piloto da Indy. O brasileiro, inclusive, disputará as cinco provas ovais previstas no calendário, contornando o fato de que nunca disputaria corridas neste tipo de circuito, promessa feita para Silvana, sua mulher.

"A situação da Silvana era realmente verdade. Eu tinha prometido para ela, tinha planejado correr 25 anos de F1 e depois parar. Nunca imaginei correr em um oval. Muitas vezes juntos assistindo à corrida do Tony ou Felipe Giaffone ela me perguntou: 'você nunca vai fazer isso né?' E eu disse: 'não, fica tranquila'. Foi aí que surgiu a promessa e é a ela que eu tenho que agradecer", explicou.

Com a confirmação, Barrichello substitui o japonês Takuma Sato, outro ex-Fórmula 1, que correu em 2011 ao lado de Tony Kanaan e do venezuelano Ernesto José Viso. Kanaan segue no time, agora correndo ao lado do compatriota, assim como Viso. Sato foi para a Rahal-Letterman.

O acerto já era esperado desde a segunda-feira, quando a conta da KV Racing no Twitter anunciou que tinha um importante comunicado a fazer a respeito de seus pilotos. Na ocasião, porém, o time apenas oficializou ao público a permanência de E.J. Viso no time por mais uma temporada, deixando a comunicação sobre Rubinho para a coletiva desta quinta-feira.

Após perder a vaga na Williams para o compatriota Bruno Senna, Barrichello encerrou uma trajetória de 19 temporadas na Fórmula 1, entre 1993 e 2011. Neste período, ele correu por Jordan, Stewart, Ferrari, Honda, Brawn e Williams, conquistando 11 vitórias e alcançando o vice-campeonato em duas ocasiões (2002 e 2004).

Nesta quinta, Rubinho se tornou o terceiro brasileiro confirmado na Fórmula Indy em 2012. Além de Kanaan na KV Racing, Helio Castroneves permanece na Penske. Vitor Meira deixou a AJ Foyt, e Bia Figueiredo ainda não tem o futuro definido.

Barrichello aproveitou a entrevista desta quinta para apresentar a imagem do carro no qual competirá em 2012, com a cor azul. Ele vestiu inclusive o macacão que usará durante a temporada, da mesma cor. Seu capacete manterá o desenho em vermelho, azul e branco, como era na época da F1.

Na Indy, o brasileiro competirá com o número oito. O 11, o seu preferido, já tinha dono: era justamente de Tony Kanaan. "Tentei comprar, mas não deu certo", brincou Rubinho durante a coletiva, na qual foi acompanhado pelo piloto baiano e pelos chefes da KV (Jimmy Vasser e Kevin Kalkhoven).

Kanaan, que foi campeão da categoria em 2004, mantém grande relacionamento com o compatriota, o qual costuma chamar de "irmão", e anunciou nesta quinta a renovação do contrato com a KV até 2013 - já Barrichello assinou até o fim desta temporada.

 

Notícia do Site Terra

Barrichello busca mais de R$ 5 mi no Brasil para correr com n? 8 na KV

Posted by Maicon Rubini on 9 Ee febrero Ee 2012 a las 19:05 Comments comentarios (0)

Assim que concluiu os testes em Sebring com o carro da KV, Rubens Barrichello voltou ao Brasil com a intenção de reunir o aporte financeiro necessário para ingressar de vez na Indy em 2012. O brasileiro precisa de pouco mais de R$ 5 milhões para assegurar uma vaga na KV e estrear na categoria norte-americana


A decisão de Rubens Barrichello de ir correr na Indy em 2012 está cada vez mais próxima. Assim que concluiu os testes com a KV em Sebring na semana passada, o piloto retornou ao Brasil e iniciou uma série de reuniões para levantar o montante que precisa para levar ao time de copropriedade de Jimmy Vasser.

 

A pouco mais de um mês e meio do início da temporada, Barrichello ouviu da KV de que precisa de US$ 3 milhões (cerca de R$ 5 mi) para correr — situação semelhante à vivida por Tony Kanaan no ano passado, no afã da quebra do acordo com a equipe de Gil de Ferran; aliás, Tony ainda precisa fechar seu orçamento, com cerca de metade das cifras antes mencionadas.

 

 

 

Tão logo terminou de experimentar o DW12 na Flórida, Rubens se viu engajado nesta meta porque quer a Indy para sua vida — como confirmou ontem no programa ‘Jogo Aberto’, da TV Bandeirantes. Na emissora paulista, aliás, o piloto foi conversar com a cúpula e os diretores responsáveis pela parte esportiva para entender como se dá a divulgação e o que pode oferecer nas empresas com as quais conversa para convencê-las a apoiá-lo em sua nova jornada.

 

Fosse na F1, Barrichello teria o apoio da BMC (Brasil Máquinas), representante da Hyundai. Não é o caso na Indy. A empresa não tem interesse no mercado americano e havia crescido os olhos no principal campeonato do mundo principalmente por causa do GP da Coreia do Sul. Mas Rubens tem seus contatos bem feitos com Nestlé e Itaipava — que copatrocinaram a etapa do Anhembi no ano passado — e a Locaweb, que o apoiou nas últimas provas que fez pela Williams.

 

Se a conta fechar, Barrichello já pode se apresentar a Jimmy Vasser como novo membro do time, e aí todo um procedimento começa a ser (re)feito: o de avisar à Dallara para que um novo chassi seja construído, tal como a Chevrolet para encomenda de um novo motor, algo que deve consumir uns 20 dias. Como a KV já tinha três carros no ano passado — além de Kanaan, Ernesto Viso, que segue na equipe, e Takuma Sato, que foi para a Rahal-Letterman —, a tarefa de formar um novo grupo de mecânicos e engenheiros não é das mais complicadas.

 

Grande responsável pela guinada na carreira do ex-piloto da Williams na F1, Kanaan só não vai abrir mão de uma coisa para o amigo: o número do carro. Já estava definido há algum tempo que Tony vai voltar usar o número 11, coincidentemente o de sorte de Barrichello, que vai correr com o número 8 se as negociações forem consolidadas.

 

Nesta quarta-feira (8), por meio de seu perfil no Twitter, o brasileiro admitiu que ainda enfrenta um dilema em casa. É de conhecimento público a resistência da esposa, Silvana, com relação à decisão do piloto de correr na Indy, em função dos muitos acidentes e das pistas ovais. Barrichello também confirmou a busca por patrocinadores. "Nenhuma decisão até o momento. Pequeno dilema em casa, além da tentativa de encontrar patrocinadores para fechar o orçamento. Ainda espero por algo bom", escreveu.

FONTE: GrandePrêmio

A Indy anunciou nesta quarta-feira novidades no regulamento para 2012

Posted by Maicon Rubini on 9 Ee febrero Ee 2012 a las 19:00 Comments comentarios (0)

A Indy anunciou nesta quarta-feira novidades no regulamento para 2012.

Como medida de segurança, categoria vai usar um sistema de mensagens instantâneas entre a direção de prova, comissários, equipes e fiscais, além de luzes nos volantes dos carros para avisar de perigos na pista

Beaux Barfield, novo diretor de provas da Indy, se opôs a uma mudança radical do regulamento esportivo e no conjunto de medidas de segurança da Indy. O dirigente optou apenas por pequenos ajustes nas regras para a temporada de 2012, que começa no dia 25 de março, em São Petersburgo. As alterações foram anunciadas nesta quarta-feira (8).

 

"Para mim, o importante é que algumas regras tenham a ver com o meu estilo, mas fomos cuidadosos para não eliminar alguns elementos valiosos", disse. "Há muita história nessas regras que você deve preservar e se certificar que de eliminar nada importante. Esse regulamento de 2012 será a base para começarmos o de 2013", completou.

 

A grande novidade é a introdução do sistema de mensagens instantâneas entre a direção de prova, comissários, equipes e fiscais. Os chefes dos times também poderão entrar em contato direto com a direção de corrida. A medida é uma ação para evitar problemas como os enfrentados em New Hampshire, quando a relargada foi autorizada, mesmo com a pista oval molhada e provocou um enorme acidente.

 

A Indy também determinou o uso no carro de um mínimo de duas luzes de advertência com relação às condições da pista. O dispositivo será instalado nos volantes dos DW12. Ainda dentro das novidades para 2012, a categoria também vai implementar um sistema de pontuação para os diferentes fabricantes de motores - Chevrolet, Honda e Lotus. As três fornecedoras disputarão um campeonato entre si, somando nove, seis e três pontos de acordo com a colocação de suas equipes nas corridas.

 

As equipes e pilotos ainda participarão de um treino coletivo no oval do Texas em 13 de março.

FONTE: GrandePremio

Rubens Barrichello deve correr na Indy 2012 pela KV Racing

Posted by Maicon Rubini on 5 Ee febrero Ee 2012 a las 17:35 Comments comentarios (0)



Rubinho deve ser companheiro de equipe de Tony Kanaan que já foi campeão da Fórmula Indy



Novo Indy 2012 esta quase pronto

Posted by Maicon Rubini on 5 Ee octubre Ee 2011 a las 14:55 Comments comentarios (0)

Fabricantes de motor fazem 1º teste com chassi de 2012
Will Power e Scott Dixon andaram por Chevrolet e Honda nesta terça em mid-Ohio

Os dois principais fabricantes de motores da Indy a partir de 2012, Chevrolet e Honda, fizeram nesta terça-feira o primeiro teste com seus propulsores no novo chassi da Dallara, que passará a ser usado a partir do ano que vem. A sessão foi realizada no circuito misto de Mid-Ohio.

Scott Dixon, da Ganassi, pilotou para a fabricante japonesa, enquanto Will Power, da Penske, foi quem conduziu o programa de testes da concorrente norte-americana. As duas equipes serão as principais clientes de cada um dos fornecedores na próxima temporada.

Em 2012, a Indy passará a utilizar motores turbocompressores, em formato V6 e capacidade para 2,2 litros. Além de Chevrolet e Honda, a Lotus também anunciou que produzirá propulsores para a categoria, mas mas ainda não anunciou oficialmente acordo para fornecimento com nenhum time.

O segundo teste de motores está programado para o oval de 1,5 milha de Las Vegas, logo após a realização da última etapa da atual temporada, que acontece em 16 de outubro. De acordo com a organização da categoria, os treinos terão duração de dois dias.

Os organizadores também divulgaram algumas informações sobre o último teste realizado com o novo chassi da Dallara, realizado há uma semana, em Indianápolis.

O vice-presidente de tecnologia da Indy, Will Phillips, avaliou que o progresso do bólido tem agradado aos organizadores, mas que ainda faltam vários objetivos a serem superados. "Nós já alcançamos a maior parte de nossas metas, mas ainda não chegamos às velocidades que gostaríamos em cada uma das pistas [onde testamos]. Isso aconteceu porque ainda estamos em um período muito incipiente no desenvolvimento do programa de motores e do carro em si. Mas as indicações do que temos feito são boas", pontuou.

"Estamos felizes que o carro tenha potencial para encontrar ou até extrapolar as nossas expectativas", declarou Phillips. O vice-presidente de tecnologia revelou que as expectativas são de que o modelo consiga em breve ser mais rápido que o atual em traçados mistos, de rua e em ovais curtos. Segundo ele, a maior dificuldade será superar os tempos apresentados pelo chassi usado de 2003 a 2011 em ovais longos.

Will Phillips contou que, no teste realizado por Dan Wheldon em Indianápolis, um superspeedway de 2,5 milhas, a velocidade média ficou em torno de 211 mph (cerca de 337,6 kh/h). Na edição das 500 milhas deste ano, por exemplo, a pole position de Alex Tagliani foi conquistada com a média de 227,472 mph (quase 364 km/h).

No último teste, o carro já estava equipado com um motor Honda nas especificações para o ano que vem. "Observamos as velocidades máximas alcançadas, as variações entre velocidade em reta e dentro das curvas e comparamos com os dados do carro atual", detalhou. "Portanto, [o intuito] não era marcar um tempo específico, [até porque o motor] Honda ainda tem seis meses pela frente para ser desenvolvido", justificou.

Notícia: Site Tazio